Sábado, 7 de Fevereiro de 2009
Para Além dos Sonhos

Pois bem chegamos finalmente ao fim desta fic... Confesso que não postei tantas vezes nem com a frequencia que desejava, mas é dificil coordenar a faculdade com a escrita e a verdade é que todos os capitulos que receberam foram escrito quase na hora de postar... E é por isso que vos vou dar uma noticia menos boa, devido ao que verifiquei com esta fic, o mais certo é eu passar a postar apenas uma vez por semana num dia que irei ainda definir. Eu sei que não é o mais agradável, mas eu preciso de tempo para escrever. 

 Espero que tenham gostado desta fic e só para que saibam esta fic já foi entregue à minha maninha, a quem ela era dedicada, pelo que ela já conhece o fim da história uma vez que há uma semana que tenho este capitulo escrito. Desculpem a demora, mas tem de ser...

Bjinhus***

 

PS: Adoro saber que continuo a ter aquelas leitoras que eu adoro a visitar o meu blog, faz-me muito feliz. Dreamer ainda bem que voltaste espero e breve poder actualizar-me do teu blog.

 

 

 

Capítulo XX
“…you know you're all that I live for…I'll always be right beside you…I never thought there'd be you”
                        You
 
Três meses se passaram, três meses desde aquela nossa união divina, o reencontro de nós mesmos e desde aí que muitos milagres têm acontecido tal como a chuva profetizara naquele dia magnifico. Também hoje está um dia incrivelmente bonito, a chuva deu lugar à neve e as ruas cobertas por um manto branco prolongam a magia do Natal. Foi o primeiro Natal que passámos juntos, o primeiro Natal que partilhámos, o primeiro Natal como uma família… Nunca vou esquecer o sorriso radiante da minha filha naquela noite de Natal… Uma família, éramos finalmente uma família. Aquela noite não me sai da cabeça a Inês sentada ao piano com o seu cabelo loiro solto e o seu lindo vestido branco que combinava com a brancura do piano de cauda que há muito lhe tinha prometido, o Tom com os olhos brilhantes ao ouvir a voz da nossa menina, a Simone sempre de lágrimas nos olhos, o Bill com aquele sorriso de menino, estava em casa, estava finalmente em casa. Mudámo-nos para a casa do Tom, um mês antes do Natal, não fazia mais sentido mantermos duas casa quando ou estava sempre em casa dele ou ele sempre em minha casa.
Hoje três semanas depois do Natal contemplo a neve que cai lá fora enquanto ouço a melodia que enche a casa, aquele som adocicado, inebriante que se solta à medida que os delicados dedos da nossa filha percorrem as teclas delicadas e frágeis do piano… Uma lágrima solitária cai dos meus olhos sem que eu a possa travar, mas depressa aquele que mais amo a apara e leva para longe… Não importa o tempo que passa, ele saberá sempre quando uma lágrima cai dos meus olhos e estará lá sempre pronto a afastá-la de mim… Vivemos um para o outro e juntos vivemos para a nossa filha, estaremos sempre lado a lado vivendo tudo aquilo que a vida ainda nos tem para oferecer, agradecendo de todas as vezes que sentimos um milagre acontecer em nós… Com todos estes anos de separação aprendemos a viver mais intensamente cada segundo, aprendemos a dar valor a pequenos gestos, pequenos sorrisos, pequenos olhares, pequenos silêncios… A cada dia que passa aprendo que tudo o que sacrifiquei valeu de facto a pena, mas a cada dia que passa continuo a tentar perdoar-me por ter privado o Tom do bem mais precioso que preenche as nossas vidas e a cada dia ele está lá relembrando que ele já me perdoou e ajudando-me a perdoar-me.
A neve continua a cair lá fora e os braços do Tom continuam a envolver-me como sempre faz observando comigo aquele milagre da natureza, hoje a chuva não tem nada para nos dizer, apenas nos sorri… A melodia que antes ecoava na casa mudou e agora também a voz da Inês se começa a ouvir, aquela voz de menina doce e que já é tão poderosa. O Tom pega-me na mão e leva-me lentamente ao encontro do sol dos nossos dias que toca aquela melodia perfeita de olhos fechados sentindo a música.
“When we're together I feel perfect
When I'm pulled away from you I fall apart
All you say is sacred to me
Your eyes are so brown, I can't look away as we lay in the stillness
You whisper to me”
Vejo-a abrir os olhos, aqueles olhos tão iguais aos do pai, e vejo aquele brilho tão característico dela nestes últimos meses e depois observo o Tom e como que em câmara lenta vejo-o ajoelhar e pegar na minha mão beijando-a e ouço-o continuar a música enquanto Inês o acompanha.
“Sara, marry me, promise you’ll stay with me”
Os meus olhos não largam os seus enquanto a nossa filha continua aquela melodia que ela tanto ama, mas já nada parece tomar forma, ouço e volto ouvir aquelas belas palavras que o Tom cantou para mim… O meu coração derreteu no momento em que ele as proferiu, nada neste mundo faz mais sentido neste mundo do que casar-me com ele, fazer juras de eternidade que queremos proclamar ao mundo inteiro… E por fim oiço as últimas palavras que saem da boca da minha filha “I never thought there'd be you”. Nada faz mais sentido do que aquelas palavras, quantas noites sonhei encontrá-lo e quantas noites depois de o encontrar pensei que ele não era real e depois de tudo isso sacrifiquei-me por ele por saber que nunca haveria ninguém na minha vida como ele, por perceber que quando menos esperei ele apareceu e levou consigo tudo o que fui e que poderia ser e agora depois de todo este tempo reencontrámo-nos e juntos realizamo-nos como pessoas, juntos tornámo-nos naquilo que tínhamos de ser. O som do piano cessou e Tom continua de olhos fixos nos meus esperando que da minha boca saia o sim que ele tanto anseia. Inconscientemente passo a mão que não está entrelaçada nas dele sobre o meu ventre, ainda pouco se nota, mas aos poucos começa-se a delinear a minha barriga… Estou grávida de três meses e finalmente poderei dar ao Tom a alegria de ver crescer um filho… Uma das suas mãos repousa sobre o meu ventre e entrelaça-se na minha, acariciando a nossa pequena semente, que é metade de cada um de nós… Olho-o mais uma vez nos olhos e descaio, ficando tal como ele de joelhos.
“ Eu sempre te disse que ficava, porque não tenho nenhum outro sitio onde queira estar, não tenho outro alguém com quem queira estar… Sempre te pertenci, mesmo quando te disse que não te pertencia, sem ti não sou eu, sou apenas sombra… Amo-te como nunca poderia amar ninguém, amei-te antes mesmo de saber que te amava e pertenci-te muito antes de saber que te pertencia… Nada faz mais sentido do que ficar contigo para sempre, do que testemunhar e partilhar os pequenos milagres que a vida nos oferece… E sim quero casar contigo, sim quero ficar e prometo ficar contigo para sempre”.
Lá fora a neve brilhou com as pequenas réstias de sol que rompiam o céu de inverno… A natureza, a nossa eterna confidente, a nossa eterna testemunha sorriu perante aquele juramento que seria eterno e sei que mais uma vez os anjos nos invejaram por termos criado o nosso pequeno paraíso, por partilharmos algo tão grandioso e divino.


 


música: you - evanescence
sinto-me: wtv

publicado por Morceguinha às 14:59
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
23
24
25
26

27
28
30
31


Da minha autoria
posts recentes

Para Além dos Sonhos

Para Além dos Sonhos

Para Além dos Sonhos

Para Além dos Sonhos

Para Além dos Sonhos

favoritos

10º Capítulo - Love Isn't...

tags

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds